(Estevão Ribeiro de Resende)(Estevão marquês de Valença)


  • Born July 20, 1777 - Fazenda Cachoeira, Prados, Santo Antônio da Lagoa Dourada, Minas Gerais, Brasil
  • Baptized August 5, 1777 - Ermida do Coronel Severino Ribeiro, Freguesia de Prados, Lagoa Dourada, Minas Gerais, Brazil
  • Deceased September 8, 1856 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil,aged 79 years old
  • Buried September 9, 1856 - Cemitério de São Francisco de Paula, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Sócio do IHGB em 1840, Proprietário Rural, Desembargador e Político Brasileiro, juiz de fora, Juiz de Fora em, SP, Juiz de Fora em SP., Foi também "Procurador de Defuntos e Ausentes", fiscal dos diamantes de Serro Frio, em 1816, ocasião que também exerceu o cargo de "Desembargador da Relação da Bahia"., Desembargador da Relação na, Fiscal dos Diamantes, no Serro Frio, MG, Desembargador da Casa da Suplicação em, ministro de todas as repartições do publico serviço, deputado à Assembléia Constituinte de, Ministro do Império no 3º Gabinete de, Desembargador do Paço em,, Desembargador do Paço, Deputado Geral em, Senador por sua província em, Ministro da Justiça no 6º Gabinete de, Bacharel em direito pela universidade de Coimbra,

 Spouses and children

(display)

 Events


 Sources

  • Individual:
    - Árvore Genealógica Mundial Geni - Estevão Ribeiro de Resende, marquês de Valença<br>Gênero: Masculino<br>Nascimento: 20 de jul de 1777 - Fazenda Cachoeira, Prados, Santo Antônio da Lagoa Dourada, Minas Gerais, Brasil<br>Batismo: 5 de ago de 1777 - Ermida do Coronel Severino Ribeiro, Freguesia de Prados, Lagoa Dourada, Minas Gerais, Brazil<br>Casamento: Cônjuge: Ilídia Mafalda (nascida de Sousa Queirós), Marquesa de Valença - 25 de fev de 1819 - Sao Paulo, São Paulo, Brazil<br>Morte: 8 de set de 1856 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil<br>Enterro: 9 de set de 1856 - Cemitério de São Francisco de Paula, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil<br>Pai: Severino Ribeiro<br>Mãe: Josefa Maria Maria de de Resende<br>Esposa: Ilídia Mafalda (nascida de Sousa Queirós), Marquesa de Valença<br>Filhos: Delfina Henriqueta Julia de Resende, Luis Ribeiro de Sousa Resende, Capitão, Ilídia Mafalda de Resende, Estevão Ribeiro de Sousa Resende, barão de Resende, Leopoldina de Sousa Resende, Amélia de Sousa Resende, Francisca de Sousa Resende, Pedro Ribeiro de Sousa Resende, 2º barão de Valença, Estevão Ribeiro de Resende, 1º barão de Lorena, Severino Ribeiro de Sousa Resende, Elisa de Sousa Resende, Geraldo Ribeiro de Sousa Resende, barão de Geraldo de Resende e de Iporanga, Maria Joana de Sousa Resende, Virgílio Ribeiro de Resende, Teófilo Ribeiro de Resende<br>Irmãos: Severino Eulógio Ribeiro de Resende, José Ribeiro de Resende, Antonio Ribeiro de Resende, João Ribeiro de Resende, Geraldo Ribeiro Ribeiro de Resende, Helena Maria Maria de de Santanna, Leonarda Maria de Resende, Manuel de Jesus de Jesus Ribeiro Ribeiro de Resende, Joaquim Fernandes Ribeiro de Resende, Maria Clara de Resende, Ana Feliciana de Resende, Francisca de Paula Gaudina de Resende - Record - 40000:60643767:
    - Árvore Genealógica do FamilySearch - Estêvão Ribeiro de Resende&lt;br&gt;Gênero: Masculino&lt;br&gt;Nascimento: 20 de jul de 1777 - Lagoa dourada, Minas Gerais, Brasil&lt;br&gt;Batizado: 5 de ago de 1777 - Lagoa Dourada, Minas Gerais, Brasil&lt;br&gt;Casamento: Cônjuge: Ilídia Mafalda de Souza Queiroz - 25 de fev de 1819 - Se, São Paulo, São Paulo, Brasil&lt;br&gt;Residência: Em 1816 residia em Moji Mirim, sendo recenseado como fazendeiro potentado, com vinte e sete escravos. - 1816 - Moji-Mirim, Mogi Mirim, São Paulo, Brasil&lt;br&gt;Morte: 8 de set de 1856 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil&lt;br&gt;Enterro: 9 de set de 1856 - Cemitério de São Francisco de Paula, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil&lt;br&gt;Profissão: sócio do IHGB em 1840&lt;br&gt;Profissão: Proprietário Rural, Desembargador e Político Brasileiro&lt;br&gt;Profissão: juiz de fora - Entre 1806 e 1808 - Palmela, Setúbal, Portugal&lt;br&gt;Profissão: Juiz de Fora em, SP - 1810 - Com a retirada da família Real portuguesa e o governo do reino para o RJ, regressou Estevão Ribeiro de Rezende à sua pátria onde exerceu em 1810 o cargo de Juiz de Fora em, SP.&lt;br&gt;Profissão: Juiz de Fora em SP. - 13 de maio de 1810 - Foi o primeiro juiz de fora de São Paulo, cargo criado pelo alvará de 13 de maio de 1810.&lt;br&gt;Profissão: Foi também "Procurador de Defuntos e Ausentes", fiscal dos diamantes de Serro Frio, em 1816, ocasião que também exerceu o cargo de "Desembargador da Relação da Bahia". - 1816&lt;br&gt;Profissão: Desembargador da Relação na - 1816 - Capitanai da Baia&lt;br&gt;Profissão: Fiscal dos Diamantes, no Serro Frio, MG - fev de 1816 - Fevereiro de 1816 foi escolhido para o cargo de Fiscal dos Diamantes, no Serro Frio, MG.&lt;br&gt;Profissão: Desembargador da Casa da Suplicação em - 1818&lt;br&gt;Profissão: ministro de todas as repartições do publico serviço - maio de 1822&lt;br&gt;Profissão: deputado à Assembléia Constituinte de - 1823&lt;br&gt;Profissão: Ministro do Império no 3º Gabinete de - 10 de nov de 1823&lt;br&gt;Profissão: Desembargador do Paço em, - 1824&lt;br&gt;Profissão: Desembargador do Paço - 1826&lt;br&gt;Profissão: Deputado Geral em - 1826&lt;br&gt;Profissão: Senador por sua província em - 1826&lt;br&gt;Profissão: Ministro da Justiça no 6º Gabinete de - 15 de jan de 1827&lt;br&gt;Profissão: Bacharel em direito pela universidade de Coimbra, - seguiu a magistratura e foi Juiz de Fora em Palmeira,Portugal.&lt;br&gt;Afiliação: Irmão de: - Severino Eulógio Ribeiro de Rezende, Coronel; Antônio Ribeiro de Resende; João Ribeiro de Resende, Alferes; Coronel Geraldo Ribeiro de Resende; Helena Maria de Santanna; José de Resende; - Leonarda Maria de Resende; Manuel Ribeiro de Resende; Joaquim Fernando Ribeiro de Resende, Capitão; Maria Clara de Resende; Ana Feliciana de Resende e Francisca de Paula Galdina de Resende&lt;br&gt;Afiliação: Casamento: - Genealogia: "Engajou noivado quando Ilídia Mafalda de Sousa Queirós, dama de honra da Imperatriz; tinha apenas 7 anos de idade, por carta de procuração, contraindo matrimônio 7 anos depois".&lt;br&gt;Título Nobiliárquico: Valença. Barão com Grandeza de - 12 de out de 1825&lt;br&gt;Título Nobiliárquico: Valença. Conde de; - 10 de out de 1826 - decreto imperial de 10 de outubro de 1826&lt;br&gt;Título Nobiliárquico: Valença. Marquês de - 29 de nov de 1829 - concedido por carta de D. Pedro I do Brasil, em 29 de novembro de 1829.&lt;br&gt;Título Nobiliárquico: Conselho dos Procuradores Gerais das Províncias do Brasil (1822 a 1823) - Estêvão Ribeiro de Resende - Procurador de Minas Gerais&lt;br&gt;Parece haver um problema com os parentes desta pessoa. Veja esta pessoa no FamilySearch para ver esta informação.&lt;br&gt;&nbsp;&nbsp;Informação adicional: <br> <br>TitleOfNobility: Barão com Grandeza, Conde e Marquês de Valença<br>Presidente do Senado do ImpCArio do Brasil : Precedido por Francisco Vilela Barbosa // Sucedido por José da Costa Carvalho<br>Foi: Conselheiro de Estado Honorário em 1827.<br>Era: sócio do IHGB em 1840,etc<br>Provedor: No Arquivo Nobiliárquico, pág. 525, em vez de procurador, leia-se provedor<br>Juiz de Fora: quando retornou ao Brasil, foi nomeado primeiro Juiz de Fora da Provincia de São Paulo em 1810; cargo criado pelo alvará de 13 de maio de 1810<br>TitleOfNobility: cavaleiro da Ordem Militar de Cristo<br>TitleOfNobility: grã-cruz da Imperial Ordem de Cristo<br>LifeSketch: Archivo nobiliarchico brasileiro / José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos VALENÇA. (Barão com grandeza, Conde e Marquez de) Estevão Ribeiro de Rezende. Nasceu em 20 de Julho de 1777, no arraial dos Prados, Comarca do Rio das Mortes (Minas Geraes). Falleceu a 8 de Setembro de 1856, deixando numerosa e illustre próle. Filho do Coronel Severino Ribeiro, natural de Lisbôa, de nobre familia, e de sua mulher D. Josepha Maria de Rezende, de abastada familia de Prados, em Minas Geraes. Casou com D. Ildia Mafalda de Souza que Nasceu em S. Paulo a 14 de Maio de 1805 e falleceu no Rio de Janeiro, a 24 de Julho de 1877. A Marqueza de Valença era Dama de Honra de S. M. a Imperatriz, e filha do Brigadeiro Luiz Antonio de Souza, fidalgo portuguez, residente em S. Paulo, e de sua mulher D. Genebra de Barros Leite, fallecida em Lisboa, em 1836, filha do Capitão Antonio de Barros Penteado e de sua mulher D. Maria Paula Machado. O Brigadeiro Luiz Antonio de Souza era filho de José Luiz de Souza e de sua mulher D. Anna Maria de Macedo. Bacharel em direito pela Universidade de Coimbra, seguiu a magistratura e foi Juiz de Fóra em Palmella, Portugal. Com a retirada da familia Real portugueza e o governo do reino para o Rio de Janeiro, regressou Estevão Ribeiro de Rezende á sua patria, onde exerceu em 1810 o cargo de Juiz de Fóra, de S. Paulo, e de procurador de defuntos e auzentes; em Fevereiro de 1816 foi escolhido para o cargo de Fiscal dos Diamantes, no Serro Frio, Minas Geraes. Em 1816 foi nomeado Desembargador da Relação, na Bahia; Desembargador da Casa da Supplicação em 1818; do Desembargo do Paço em 1824, aposentado em 1826, sendo o seu ultimo membro. Accompanhou em Maio de 1822 o Principe Regente D. Pedro á Provincia de Minas Geraes, exercendo por Decreto escripto pela mão do fundador do Imperio, ao funcções de ministro de todas ao repartições do publico serviço. Foi Deputado á Assembléa Constituinte de 1823, por Minas Geraes, e tambem na Geral de 1826; Ministro do Imperio no 3º Gabinete de 10 de Novembro de 1823; Ministro da Justiça no 6º Gabinete de 15 de Janeiro de 1827; Senador por sua Provincia em 1826; Presidente do Senado em 1841; Conselheiro de Estado Honorario em 1827. Grande do Imperio, era Fidalgo Cavalleiro; Grã-Cruz da I. Ordem de Christo; Dignitario do I. Ordem do Cruzeiro; Cavalleiro Professo da R. Ordem de Christo de Portugal; socio do Instituto Historico e Geographico Brasileiro em 1840, etc. BRAZÃO DE ARMAS: Escudo partido, de azul e oiro; no primeiro as armas de Damião Dias Ribeiro, que são: um leopardo de prata, passante, e um chefe de oiro com tres estrellas de vermelho; no segundo as armas dos Rezendes, que são: duas cabras, de preto, gotadas de oiro. Timbre: o leopardo das armas, com uma estrella de góles na espadua; e por differença, uma brica com uma flôr. (Brazão passado em 29 de Novembro de 1829. Reg. no Cartorio da Nobreza, Liv. VI, fls. 1). CORÔA: A de Marquez. CREAÇÃO DOS TITULOS: Barão com grandeza por decreto de 12 de Outubro de 1825. Conde por decreto de 12 de Outubro de 1826. Marquez por decreto de 11 de Outubro de 1848.<br>TitleOfNobility: Grande do Império<br>TitleOfNobility: Fidalgo Cavaleiro<br>TitleOfNobility: Dignitário da I. Ordem do Cruzeiro<br>TitleOfNobility: Cavaleiro Professo da R. Ordem de Cristo de Portugal;<br>Afiliação: Filhos: A prole do Barão foi de dezesseis filhos, onze legítimos e cinco naturais legitimados. Estes foram: 1. Barão de Lorena, 2. Cap. Virgílio Ribeiro de Rezende, 3. Conselheiro Teófilo Ribeiro de Rezende, 4. Delfina Henriqueta Júlia de Rezende(Quando ainda estudante em Coimbra teve esta filha que trouxe consigo de Portugal, ainda menina e que legitimou em 1819. Delfina casou-se com um parente do barão e dela teve grande descendência) e 5. Josefina Augusta de Rezende. - Record - 40001:941095755:

  Photos and archival records

{{ media.title }}

{{ mediasCtrl.getTitle(media, true) }}
{{ media.date_translated }}

 Family Tree Preview