Sosa :103,716
  • Born between 1515 and 1530 - Funchal, Ilha da Madeira, Portugal
  • Deceased between 27 March 1600 and 9 September 1600 - São Vicente, São Paulo, Brasil ou Vila de Sao Paulo
  • Buried - São Vicente, São Paulo, Brasil
  • Fidalgo da Casa Real

 Parents

 Spouses and children

(display)

 Events


 Notes

Individual Note


Nationality: Portuguesa

Pedro Leme, que passou da dita ilha a S. Vicente com sua f.ª Leonor já casada com Braz Teves, como escrevemos adiante. Pedro Taques menciona a este Pedro Leme como o 1.º chegado a S. Vicente, porém frei Gaspar da Madre de Deus assevera ter visto o livro mais antigo de termos de vereança de S. Vicente (não consultado por Pedro Taques) onde consta que Antão Leme foi juiz ordinário na dita vila em 1544; portanto, este (e não seu f ° Pedro Leme) deve ser considerado como o tronco dos Lemes em S. Paulo.

 

 

Fonte: Genealogia Paulistana, Luiz Gonzaga da Silva Leme, Vol II - Pág. 179 a 229.

 Sources

  • Individual:
    - Árvore Genealógica do FamilySearch -

    Pedro LemeNome de nascimento: Pedro Leme IIGênero: MasculinoNascimento: Perto de 1515 - Funchal, Madeira, PortugalCasamento: Cônjuge: Luzia Fernandes - Perto de 1540 - São Mamede, Batalha, Leiria, PortugalCasamento: Cônjuge: Graça Rodrigues - De 1560 - São Vicente, São Paulo, BrasilMorte: Perto de Fev de 1600 - São Paulo, São Paulo, BrasilEnterro: São Vicente, São Paulo, BrasilPai: Antão LemeCônjuges: Luzia Leme (Sol. Fernandes), Graça Leme (Sol. Rodrigues), Isabel Leme (Sol. Paes)Filhos: Leonor Esteves (Sol. Leme), Fernão Dias Paes Leme, Antonia, Leonor de Cerqueira (Sol. Leme)Esta pessoa parece ter parentes duplicados. Veja no FamilySearch para ver a informação completa.  Informação adicional:

    LifeSketch: Pedro Leme, f.° de Antão Leme, natural da Ilha da, Madeira, fidalgo da casa real, passou-se dessa ilha para S. Vicente, onde já morava pelos anos de 1550, segundo escreveu Pedro Taques. Segundo o mesmo escritor, Pedro Leme, antes de vir para S. Vicente, deixara a Ilha da Madeira e estivera no continente, na corte de d. João III, onde casou-se a 1.ª vez com Isabel Paes, açafata do paço, natural de Abrantes, f.ª de Fernando Dias Paes, que era tio de João Pinheiro, desembargador dor paço; passou a morar em Abrantes onde teve o f.° Fernando Dias Paes.

    Falecendo esta sua 1 .ª mulher Isabel Paes, voltou Pedro Leme à Ilha da Madeira com seu filho e aí casou-se 2.ª vez com Luzia Fernandes de quem teve a f.ª Leonor Leme, a qual passou, na companhia de seu pai, para S: Vicente já casada com Braz Teves, tendo ficado por algum tempo na dita ilha seu irmão Fernando Dias Paes, que mais tarde também mudou-se para S. Vicente, onde se casou com sua sobrinha Lucrecia Leme, como adiante veremos.

    Terceira vez casou-se Pedro Leme em S. Vicente com Gracia Rodrigues de Moura, f.ª de Gaspar Rodrigues de Moura. Faleceu Pedro Leme em 1600 em S. Paulo com testamento, em que menciona apenas o 2.º e 3.º casamentos; isto parece trazer duvida sobre o 1.º casamento, porém ela desaparece diante das indagações feitas por Pedro Taques em 1775 em Portugal (depois de ter escrito o seu Tit. de Lemes) que levaram-no à certeza da existência desse 1.° casamento, o que foi por ele comunicado a frei Gaspar da Madre de Deus, além da carta de brasão de armas passada a seu descendente Pedro Dias Paes Leme, registrada em Lisboa, da qual consta que Fernando Dias Paes, casado com sua sobrinha Lucrecia Leme, foi f.º de Pedro Leme e de Isabel Paes, n. p. de Antão Leme, bisn. de Antonio Leme e de Catharina de Barros etc.

    A respeito de Pedro Leme escreveu Pedro Taques:

    "embarcou na ilha da Madeira; e pelos anos de 1550 já estava em S. Vicente com sua mulher Luzia Fernandes e a filha Leonor Leme, mulher de Braz Esteves (ou Teves, como se vê em muitos documentos)(2), e veio fazer assento na vila, capital de S. Vicente, onde desembarcou com vários criados do seu serviço, e ali foi estimado e reconhecido com o caráter de fidalgo. Foi pessoa da maior autoridade na dita vila; e com a mesma se conservaram seus netos. Ali justificou Pedro Leme a sua filiação e fidalguia em 2 de outubro de 1564 perante o dr. desembargador Braz Fragoso, provedor-mor da fazenda e ouvidor geral de toda a costa do Brasil; e foi escrivão dos autos Antonio Rodrigues de Almeida, cavalheiro fidalgo da casa real; e obteve sentença extraída do processo, e passada em nome do senhor rei d. Sebastião, assinada pelo dito desembargador Braz Fragoso.

    A petição para esta justificação foi do teor seguinte.

    'Diz Pedro Leme, que ele quer justificar que é filho legítimo de Antão Leme, natural da cidade do Funchal da Ilha da Madeira, o qual Antão Leme é irmão direito de Aleixo Leme e de Pedro Leme, os quais todos são fidalgos nos livros de El-rei, e por tais são tidos e havidos e conhecidos de todas as pessoas que razão têm de o saber; e outrossim são irmãos de Antonia Leme, mulher de Pedro Affonso de Aguiar, e de Leonor Leme, mulher de André de Aguiar, os quais outrossim são fidalgos, primos do capitão donatário da Ilha da Madeira; os quais Lemes outrossim são parentes em grau mui propínquo de Dom Diniz de Almeida, contador-mor, e de D. Diogo de Almeida, armador-mor, e de Diogo de Cablera, f.° de Henrique de Sousa, e de Tristão Gomes da Mina, e de Nuno Fernandes, veador do mestrado de Santiago, e dos filhos de Claveiro por ser a mãe deles outrossim sobrinha dos ditos Lemes, tios e pai dele suplicante, os quais são tidos e havidos e conhecidos em o reino de Portugal por fidalgos; pede a Vmce. lhe pergunte suas testemunhas, e por sua sentença julgue ao suplicante por fidalgo, e lhe mande guardar todas as honras, privilégios e liberdade que às pessoas de tal qualidade são concedidas. E. R. M.'

    Pelo contexto desta súplica e justificação dela, obteve Pedro Leme a sentença que temos referido, a qual foi depois confirmada na vila de S. Paulo por Simão Alves de Lapenha, ouvidor geral com alçada, provedor-mor das fazendas dos defuntos e ausentes, órfãos, capelas e resíduos, auditor geral do exército de Pernambuco em 3 de março de 1640 pela causa que correu em juízo contraditório entre partes Lucrecia Leme e seu irmão Pedro Leme, netos de Pedro Leme, contra os órfãos f.ºs bastardos de Braz Esteves Leme, irmão dos ditos Lucrecia e Pedro Leme, que foram herdeiros por falecer seu irmão solteiro e sem testamento; e aos autos desta demanda juntaram os autores para prova de sua qualidade a sentença proferida a favor de seu avô, por parte materna, o dito Pedro Leme."

    Do que ficou dito deduzimos que foram os seguintes os f.ºs de Pedro. Leme:

    Da 1.ª mulher Isabel Paes:

    N.º 1 Fernando Dias Paes

    Da 2.ª mulher Luzia Fernandes:

    N.º 2 Leonor Leme

    Fonte: Genealogia Paulistana, Luiz Gonzaga da Silva Leme, Vol II - Pág. 179 a 229.
    - Ângela Amaral Sant'Anna - Amaral Sant'Anna Web Site (Smart Match)
    - Árvore Genealógica Mundial Geni - Pedro LemeGênero: MasculinoNascimento: 1515 - Funchal, Madeira, PortugalProfissão: fidalgo da Casa RealCasamento: Cônjuge: Grácia Rodrigues de Moura - Perto de 1560 - São Vicente, São Paulo, BrasilMorte: 1600 - São Paulo, Sao Paulo, BrasilPai: Antão Leme, tronco dos Lemes em S. PauloMãe: NN DesconhecidoEsposas: Grácia Rodrigues de Moura, Isabel Pais, Luzia FernandesFilhos: Fernão Dias Pais, Leonor Leme, Antonia Desconhecido

  Photos and archival records

{{ media.title }}

{{ mediasCtrl.getTitle(media, true) }}
{{ media.date_translated }}

 Family Tree Preview

Antonio o Famenco Leme, Patriarca dos Lemes da Madeira. ca 1445-1514..1528 Catarina a Neta de Barros †1526..1527  
||



|
Antão de Ferreira Leme 1483-ca 1557 ? ?
||



|
Pedro Leme 1515..1530-1600