Jusepe Ortiz de Camargo
Jusepe Ortiz de Camargo
Sosa :3,808
  • Born in 1576 - Castrogeriz, Castrojeriz, Burgos, Castilla y León, Espanha
  • Deceased in 1619 - São Paulo, São Paulo, Brazil,aged 43 years old
1 file available 1 file available

 Spouses and children

 Notes

Individual Note

Jusepe veio para o Brasil na Armada de Diogo Flores Valdez em 1587 ou 1588. O objetivo desta frota era povoar a província de Nova Leão, na América espanhola. Por doenças e falta de víveres, os navios tiveram que parar no porto de Santos. Vários espanhóis se integraram com o pessoal de terra e desertaram, ficando no Brasil, inclusive Jusepe, que aqui no Brasil virou José.Jusepe instalou-se em São Vicente e, mais tarde, mudou-se para a vila de São Paulo.Consta que era letrado e conhecedor das normas jurídicas.Foi pessoa “de autoridade e respeito”, personagem de destaque na vida política de São Paulo; tinha grande prestígio e era bem relacionado. Era um político hábil e ardoroso defensor do uso de mão de obra indígena, como escravos.No período entre 1590 e 1592, defendeu diversas vezes a vila de São Paulo contra o ataque de índios hostis.Entre 1598 e 1602, Jusepe auxiliou o governador geral Dom Francisco de Sousa em suas entradas para o sertão em busca de minas.Exerceu diversos cargos públicos, inclusive os de almotacel em 1592, vereador em 1602, juiz de órfãos em 1607, juiz ordinário em 1611 e novamente juiz de órfãos em 1612.Casou-se em 1611, em São Paulo, SP, com LEONOR DOMINGUES, A NETA, filha do português DOMINGOS LUÍS, O CARVOEIRO, e de sua primeira esposa, a brasileira ANNA CAMACHO. Foi pai de cinco filhos e três filhas, alguns, aparentemente, nascidos antes do casamento.Em Junho de 1612, Jusepe queixou-se à Câmara de São Paulo, informando que os colonos, mesmo quando autorizados a recrutar índios para seu serviço nos aldeamentos, encontravam firme objeção dos jesuítas barrando sua intenção. Nessa ocasião, liderou um movimento contra a interferência dos jesuítas na questão indígena.Jusepe faleceu em 1619.- - -A família Camargo teve princípio em Jusepe de Camargo, natural de Castela, que veio a S. Paulo na última parte do século 16.º, f.º de Francisco de Camargo e de Gabriela Ortiz, naturais de Castela, n. p. de Luiz Dias de Camargo e de Beatriz de la Peña(1). Em S. Paulo casou Jusepe de Camargo com Leonor Domingues, falecida com testamento em 1630 na mesma vila no estado de viúva de seu marido, f.ª de Domingos Luiz - o Carvoeiro - cavaleiro fidalgo, e de Anna Camacho. Foi Jusepe de Camargo concunhado de Amador Bueno da Ribeira, que foi casado com Bernarda Luiz, também f.ª do dito Domingos Luiz, como se vê neste V. 1.º pág. 81.Esta família (bem como a descendência de Amador Bueno, e outras descritas em Tit. Carvoeiros) participa do sangue de João Ramalho, que foi casado com Izabel Dias f.ª do cacique Tebiriçá, como se vê na pág. 48 deste V. 1.º. Foi Jusepe de Camargo pessoa de autoridade e respeito em S. Paulo, onde ocupou o cargo de juiz ordinário em 1611; e seus descendentes, conservando o prestígio de seu progenitor, disputaram por muitos anos as rédeas do governo, tendo como competidora a não menos nobre e poderosa família dos Pires. Vide Tit. Pires Cap. 10.º. Do inventário de Leonor Domingues (C. O. S. Paulo) tiramos os seguintes f.ºs:Cap. 1.º Capitão Fernão de CamargoCap. 2.º José Ortiz de CamargoCap. 3.º Francisco de Camargo (Capitão)Cap. 4.º Capitão Marcellino de CamargoCap. 5.º Jeronimo de Camargo____________________(1) Segundo as investigações feitas pelo dr. Ricardo Gumbleton Daunt, que se ligou por seu casamento a esta família, era ela oriunda de Sevilha e descendente do célebre navegante espanhol Affonso de Camargo, que em 1539 empreendeu ir ao Perú pelo estreito (hoje) de Magalhães; após terriveis peripécias e perdas consideráveis, Affonso de Camargo chegou a ganhar o porto de Arequipa com as suas três naus. (Ensaio Biográfico do dr. Ricardo pelo dr. Estevam Leão Bourroul). A ascendência de José Ortiz de Camargo nós a encontramos no antigo manuscrito já mencionado à pág. 45 deste V. 1.º, que existe em poder do distinto cavalheiro do Sr. Abilio Soares, e que lhe chegou às mãos transmitido de pais a filhos pelos antepassados de sua falecida esposa.- - -Espanhol de larguíssima descendência nos nossos dias e a quem predem muitas das principais famílias das regiões povoadas por paulistas foi Jusepe de Camargo, sevilhano, concunhado de Amador Bueno da Ribeira como genro de Domingos Luiz, o Carvoeiro.Emigrou em fins do século XVI e, em 1595, era juiz ordinário em São Paulo. Devia-lhe o filho, Fernão de Camargo, alcunhado o Tigre, com assassinato do segundo Pedro Taques, encetar o ciclo das tão conhecidas lutas civis dos Pires e Camargos, que ensanguentaram a vila paulistana, ad instar aquelas contendas em que os Capuletos e os Montequios veroneses se celebrizaram e tão comuns na Itália meridional.http://soberaniasp.blogspot.com.br/2013/03/a-fusao-do-sangue-castelhano-na-sao.html

Link para o livro no familysearch : https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:3Q9M-C9BP-73ZT-J?i=476&cat=70997- - -Nomes alternativos,O nome Jusepe está descrito em dados vitais;José Ortiz de Camargo;Jusepe de Camargo;José de Camargo Ortiz.- - -A família Camargo teve princípio em Jusepe de Camargo, natural de Castela, que veio a S. Paulo na última parte do século 16.º, f.º de Francisco de Camargo e de Gabriela Ortiz, naturais de Castela, n. p. de Luiz Dias de Camargo e de Beatriz de la Peña(1). Em S. Paulo casou Jusepe de Camargo com Leonor Domingues, falecida com testamento em 1630 na mesma vila no estado de viúva de seu marido, f.ª de Domingos Luiz - o Carvoeiro - cavaleiro fidalgo, e de Anna Camacho. Foi Jusepe de Camargo concunhado de Amador Bueno da Ribeira, que foi casado com Bernarda Luiz, também f.ª do dito Domingos Luiz, como se vê neste V. 1.º pág. 81. Esta família (bem como a descendência de Amador Bueno, e outras descritas em Tit. Carvoeiros) participa do sangue de João Ramalho, que foi casado com Izabel Dias f.ª do cacique Tebiriçá, como se vê na pág. 48 deste V. 1.º. Foi Jusepe de Camargo pessoa de autoridade e respeito em S. Paulo, onde ocupou o cargo de juiz ordinário em 1611; e seus descendentes, conservando o prestígio de seu progenitor, disputaram por muitos anos as rédeas do governo, tendo como competidora a não menos nobre e poderosa família dos Pires. Vide Tit. Pires Cap. 10.º.

Family Note

Marriage with Leonor Domingues

A família Camargo teve princípio em Jusepe de Camargo, natural de Castela, que veio a S. Paulo na última parte do século 16.º, f.º de Francisco de Camargo e de Gabriela Ortiz, naturais de Castela, n. p. de Luiz Dias de Camargo e de Beatriz de la Peña(1). Em S. Paulo casou Jusepe de Camargo com Leonor Domingues, falecida com testamento em 1630 na mesma vila no estado de viúva de seu marido, f.ª de Domingos Luiz - o Carvoeiro - cavaleiro fidalgo, e de Anna Camacho...

 Sources

  • Individual, birth: | Genealogia Paulistana de Luiz Gonzaga da Silva Leme, Tit. Camargos, Volume I - Pág. 178 a 225 | Family Search |
  • Spouse, death: Genealogia Paulistana de Luiz Gonzaga da Silva Leme, Tit. Camargos, Volume I - Pág. 178 a 225

  Photos and archival records

{{ media.title }}

{{ mediasCtrl.getTitle(media, true) }}
{{ media.date_translated }}

 Family Tree Preview