Aleixo


  • Born in 1564 - São Vicente, São Paulo, Brasil
  • Deceased 16 November 1629 - São Paulo, São Paulo, Brasil,aged 65 years old
  • Participou Da bandeira De Nicolau Barreto, Participou da Bandeira de Sebastião Preto ao território do Índios Abueus

 Parents

 Siblings

(display)

 Events


 Notes

Individual Note

Aleixo Leme, Nasceu por volta de 1560, na vila de São Vicente, SP.
Foi o terceiro dentre os cinco filhos do português Brás Esteves e da portuguesa Leonor Leme.
Casou-se na vila de São Vicente, comInês Dias, filha do português Domingos Dias (Chaves) e da portuguesa Marianna de Chaves.
Aleixo nasceu na vila de São Vicente e mudou-se para a vila de São Paulo, onde foi um dos primeiros habitantes.
Em São Paulo "foi das primeiras pessoas e ocupou honrosos cargos públicos".
Em 6 de Maio de 1592, morando "em um outão", solicitou à Câmara de São Paulo "o quintal de taipa que foi de Salvador Pires".
Aleixo foi bandeirante e, em 1602, tomou parte na bandeira de Nicolau Barreto, rumo ao Guairá.
Em 1623, tomou parte na bandeira de Sebastião Preto, ao território dos índios abueus.
Aleixo faleceu em 16 de Novembro de 1629, em São Paulo, SP.
Foi pai de quatro filhos e seis filhas:
1.1. Luzia Leme, a Sobrinha, casada com o Capitão Francisco de Alvarenga, filho do português Antonio Rodrigues de Alvarenga e de Anna Ribeiro. Francisco morou na vila de Santana do Parnaíba, SP. Luzia faleceu em 1653, e Francisco em 1675, em São Paulo, SP.
1.2. Brás Leme, casado com Isabel de Freitas, filha do Capitão Sebastião de Freitas e de Maria Pedroso de Alvarenga [filha de Antonio Rodrigues de Alvarenga, citado em 1.1.]. Isabel faleceu em 1656, em São Paulo. Em seu testamento, declarou:
Declaro que sou natural da vila de São Paulo, casada com Brás Leme, do qual tenho dois filhos machos e uma filha fêmea, que são meus herdeiros forçados, e uma filha por nome Maria Pedrosa, casada, à qual dei seu dote.
Declaro que tenho uma mameluca, e peço a meu marido, dado caso que ela case, lhe dê uma negra do gentio; e, sem embargo que eu comprei a mameluca, com o mesmo a deixo forra, acostando-a a meu marido Brás Leme para que a ampare.
Assim mais, mando que a gargantilha de ouro que minha filha tem se fique com ela.
Declaro que o remanescente da terça fique a meu marido.
E porque me esqueciam certas esmolas que tinha vontade fazer, as declaro aqui, que são a saber:
à mulher de Manoel Alves, sapateiro, três patacas de pano de algodão.
à mulher de Lázaro Machado, oito varas de pano de algodão.
à Leonor, mulher de Manoel Mendes, em Taubaté, três patacas.
à Ângela Leme, ... varas de pano.
E mando que um mameluco por nome Mamede, que em minha casa está, e que dizem ser filho do meu filho Aleixo, se lhe entregue.
1.3. Aleixo Leme, casado com Catharina Gomes, filha de Lourenço Gomes Ruxaque e de Isabel Rodrigues (Bonilha). Aleixo faleceu em 1646, em São Paulo, SP.
Em seu testamento, Aleixo deixou, entre outros bens:
Cem braças de terras, nos matos de Carapicuíba, numa dita [terra] de seu pai Aleixo Leme, que lhe coube de sua herança por morte do dito seu pai, conforme aos mais herdeiros.
Gente que veio do sertão e gente forra [escravos índios].
1.4. Francisco Dias Leme, casado em 1640, em São Paulo, SP, com Anna do Amaral da Costa, filha de Paulo da Costa e de Páschoa do Amaral.
1.5. Francisca Leme, casada com Miguel Gonçalves Corrêa.
1.6. Inês Dias, a Filha, casada na vila de Santos, SP, com o português Jorge Rodrigues de Niza.
1.7. Leonor Leme, casada com Daniel de Juesto, nascido em Nápoles, na Itália, filho de Simão de Juesto e de Justa Delius. Após a morte de Daniel, Leonor casou-se pela segunda vez, com João Homem da Costa. Sem filhos.
Em 1653, João foi Ouvidor da capitania de São Vicente.
1.8. Maria da Silva (Leme), casada em 1633, em São Paulo, SP, com o português Manoel Delgado de Távora, nascido na vila de Atouguia, no bispado de Braga.
1.9. Maria Leme, casada em 1635, em São Paulo, SP, com Thomás Dias Mainardi, nascido em Florença, na Itália, filho de Bartholomeu Dias e de Isabel Mainardi.
1.10. Manoel de Chaves, casado em 1641, em São Paulo, SP, com Simoa de Siqueira, filha de Aleixo Jorge e de Maria Nunes de Siqueira (Maciel). Manoel faleceu em 1646, e Simoa casou-se pela segunda vez, com o português Capitão Duarte Pacheco de Albuquerque. Duarte faleceu em 1677.
Manoel foi um dos primeiros descobridores de ouro nas Minas Gerais.
Fonte: Genealogia Paulistana, Luiz Gonzaga da Silva Leme, Vol II - Pág. 330 a 379.

 Sources

  • Individual: Árvore Genealógica do FamilySearch - 27 JUN 2020 - Adicionado através de um Record Match - Discovery - 40001:304280955:

  Photos and archival records

{{ media.title }}

{{ mediasCtrl.getTitle(media, true) }}
{{ media.date_translated }}

 Family Tree Preview

   
Brás Esteves ca 1525-1615 Leonor Leme 1542-1633
||



|
Aleixo Leme 1564-1629